Competir ou Cooperar

linha vermelhajogos competitivos e cooperativoslinha vermelha

jogos competitivos

Uma Sociedade Competitiva:

 

O modelo desportivo está totalmente enraizado e colonizou a nossa sociedade. O Modelo Olímpico (Citius, Altius, Fortius):

  • Performance – Resultado;
  • Quantitativo e Pragmático;
  • Corpo visto como Instrumento.

O modelo desportivo/competitivo também se assumiu como prioridade no contexto da Educação Física escolar. Muitos são os alunos que apresentam dificuldades em executar determinadas tarefas, não por falta de competência motoras ou cognitivas, mas por falta de habilidades sociais para cooperar e tomar decisões conjuntas no sentido da resolução de problemas ou superação de desafios. Estes alunos, mais tarde adultos, irão fazer parte dos quadros de empresas que esperam deles competências que projetem a organização no contexto do mercado competitivo. Porém, sem competências no âmbito da Anatomia Emocional e Literacia Emocional, sucumbem aos conflitos inter-pessoais, deteriorando o clima organizacional e chegando por vezes “ao fim da linha” (Burnout).

linha divisória

A formação do indivíduo no modelo desportivo competitivo faz sobressair um ego-envolvimento que apresenta as seguintes características:

  • O sucesso está associado a um sentimento de domínio de habilidades superiores e a uma sensação de competência;
  • Mostra preocupação em derrotar os adversários;
  • Manifesta maior competitividade e individualismo;
  • Utiliza o jogo para aumentar a popularidade / status social e sua auto-estima;
  • Volta a sua atenção sobretudo para o rendimento e performance;
  • Valoriza a vitória e, se possível, com o menor esforço;
  • É capaz de utilizar meios ilícitos para vencer (fraudes, técnicas e táticas enganosas, agressividade e deslealdade, violação das regras, etc…);
  • Importa-se com a opinião de terceiros sobre o seu desempenho;
  • É menos persistente, desistindo de certas atividades;
  • Face a um desempenho negativo ou insucesso, reage através da atribuição causal a terceiros, ou seja, justifica-se argumentativamente com fatores externos (arbitragem, azar, pressão dos colegas, equipas desequilibradas, falhas dos colegas, etc…);
  • O sujeito procura as atividades de menor grau de dificuldade para obter sucesso mais facilmente;
  • Mostra maior nível de ansiedade e tensão frente às competições;
  • Utiliza medidas padronizadas para obter sucesso;
  • Utiliza a comparação com outros colegas no que tange ao rendimento;
  • Justifica e desculpa-se perante o fracasso ou insucesso, despertando sentimentos negativos e opta por tarefas mais fáceis, com menos riscos, implicando níveis mais baixos de desempenho, ou evita o envolvimento na atividade.

linha vermelhajogos cooperativos

Uma organização que investe no tema dosJogos Cooperativos” privilegia sobretudo:

  • Procura a participação de todos;
  • Joga-se com os outros e não contra os outros;
  • Joga-se para superar desafios coletivos e não para vencer os outros;
  • Eliminam o medo e o sentimento de fracasso;
  • Fortalecem a autoconfiança e a auto-estima;
  • Estimulam o raciocínio e o trabalho de equipa;
  • Fomentar a inclusão e a hospitalidade;
  • Resgate dos valores universais da partilha, ajuda, colaboração, confiança e respeito pelos outros…

linha divisória

Partnership!

Joel de Rosnay (1975), “O macroscópio“, refere que “a competiçao profissional foi considerada até hoje como uma motivação saudável rumo ao êxito. O novo pensamento rejeita toda a competição herdada da tradicional luta pela vida. Repudia toda a ideia de comparação simplista baseada na excelência e no mérito, uma vez que tais comparações conduzem geralmente a uma classificação arbitrária entre indivíduos, a juízos de valor que limitam e empobrecem as relações humanas. (…) De maneira um pouco ingénua, por vezes, uma sociedade liberta da ideia de competição, não surge já como uma selva mas como uma comunidade de interesses cuja evolução assenta na ajuda mútua, na cooperação, na educação recíproca, no partnership“.

linha divisória

A formação do indivíduo no modelo cooperativo enfatiza um envolvimento denominado na tarefa, nas atividades e apresenta as seguintes características:

  • O sentimento de sucesso na realização das atividades depende de si mesmo;
  • Possui uma auto-referência em relação às suas habilidades;
  • Sente grande prazer e satisfação em participar, jogar e atribui o sucesso à equipa;
  • Não está preocupado com a performance dependente do rendimento|resultado, mas voltado para a aprendizagem;
  • O sucesso está associado ao esforço, persistência, perseverança e utilização das habilidades para a realização das atividades;
  • Mostra um compromisso social, compreensão e cooperação com os colegas;
  • Não se utiliza do jogo como meio de promoção do status social mas orientado para a promoção de atitudes éticas e lícitas que permitam obter sucesso na realização das tarefas;
  • Mostra boa concentração e atenção nas atividades, não desistindo frente às dificuldades, adversidades e contrariedades;
  • Mostra inovação, criatividade e aprendizagem;
  • Considera o erro como informativo e parte do processo de crescimento;
  • Considera o fracasso como falta de esforço e o resultado é visto como consequência do empenho pessoal;
  • Mostra um sentimento de “orgulho” e satisfação após sucesso conquistado com esforço (reconhece com humildade a falta de esforço quando se justifica);
  • Escolhe tarefas mais desafiadoras, que lhe permitem evoluir para níveis mais altos de desempenho pessoal e auto-superação.

linha vermelha

Jogos Competitivos vs Cooperativos:

Diferença entre jogos Competitivos e Cooperativos:

Jogos competitivos:

  1. São divertidos apenas para alguns;
  2. Alguns jogadores têm o sentimento de derrota;
  3. Alguns jogadores são excluídos por falta de habilidade pessoal;
  4. Aprende-se a ser desconfiado, egoísta ou a ficar melindrado com os outros;
  5. Divisão por categorias: meninos vs meninas, criando barreiras entre pessoas e justificando as diferenças como forma de exclusão;
  6. Os perdedores ficam fora do jogo e simplesmente se tornam observadores;
  7. Os jogadores não se solidarizam e ficam felizes quando alguma coisa de “mau” (percalço, infelicidade, desaire, contratempo, etc…), acontece aos outros, porque dita a sua vitória;
  8. Os jogadores são desunidos ou são unidos por necessidade (sinergias);
  9. Os jogadores perdem a confiança em si mesmo quando são rejeitados, excluídos, não escolhidos ou quando perdem;
  10. Os participantes manifestam pouca tolerância à derrota que nalguns jogadores cria um sentimento de desistência e impotência face às dificuldades;
  11. Poucos se tornam bem sucedidos.

Jogos Cooperativos:

  1. São divertidos para todos;
  2. Todos os jogadores têm um sentimento de vitória;
  3. Todos se envolvem independentemente da sua habilidade;
  4. Aprende-se a partilhar e a confiar;
  5. Há mistura de grupos que brincam juntos criando um elevado nível de aceitação;
  6. Os jogadores estão envolvidos no jogo por um período maior de tempo, beneficiando de mais tempo para desenvolver as suas capacidades;
  7. Aprende-se a empatizar com os sentimentos dos outros que também desejam o sucesso mútuo;
  8. Os jogadores aprendem a ter um sentido de unidade;
  9. Desenvolvem a auto-confiança porque todos são bem aceites;
  10. A habilidade de perseverar face às dificuldades é fortalecida;
  11. Todos encontram um caminho para crescer e desenvolver.

linha vermelha

Situação Competitiva:

  1. O alcance dos seus objectivos é incompatível com a obtenção dos objectivos dos restantes.
  2. São menos sensíveis às solicitações dos outros;
  3. Ajudam-se mutuamente com menor frequência;
  4. Há menor homogeneidade na quantidade de contribuições e participações;
  5. A produtividade em termos qualitativos é menor;
  6. A especialização de actividades é menor.

Situação Cooperativa:

  1. Os participantes percebem que o alcance dos seus objectivos, depende em parte, da acção conjunta dos outros elementos.
  2. São mais sensíveis às solicitações dos outros;
  3. Ajudam-se mutuamente com frequência;
  4. Há maior homogeneidade na quantidade de contribuições e participações;
  5. A produtividade em termos qualitativos é maior;
  6. A especialização de actividades é maior.

linha vermelha

Etapas da evolução do Paradigma Competitivo para o Paradigma Cooperativo:

Rivalidade Competitiva

  • Orientação: anti-humanista.
  • Motivação Principal: Dominar o outro. Impedir que os outros alcancem o seu objetivo. Satisfação em humilhar o outro e assegurar que não atinja os seus objetivos;

Disputa Competitiva:

  • Orientação: Dirigida para um objetivo (contra os outros)
  • Motivação Principal: A competição contra os outros é um meio de atingir um objetivo mutuamente desejável, como ser o mais veloz ou o melhor (organizações: vender mais). O objetivo é de importância primordial, e o bem-estar dos outros competidores é secundário. A competição é, às vezes, orientada para a desvalorização dos outros.

Individualismo

  • Orientação: Em direção ao ego.
  • Motivação Principal: Perseguir um objetivo individual. Ter êxito. dar o melhor de si. O objetivo está em realizações e desenvolvimento pessoais ou o aperfeiçoamento pessoal, sem referência competitiva ou cooperativa a outros.

Competição cooperativa

  • Orientação: Em direção ao objetivo (tendo em consideração os outros)
  • Motivação Principal: O meio para se atingir o objetivo pessoal que não seja mutuamente exclusivo, nem uma tentativa de desvalorizar ou destruir os outros. O bem-estar dos competidores é sempre mais importante do que o objetivo extrínseco pelo qual se compete.

Cooperação não Competitiva

  • Orientação: Em direção ao objetivo (tendo em consideração os outros)
  • Motivação principal: Alcançar um objetivo que necessita de trabalho conjunto e partilha. A cooperação com os outros é um meio para se alcançar um objetivo mutuamente desejado, e que também é compartilhado.

Auxílio cooperativo

  • Orientação: Humanista – altruísta
  • Motivação Principal: Ajudar os outros a atingir o seu objetivo. A cooperação e a ajuda são um fim em si mesmas, em vez de um meio para se atingir um fim. Satisfação em ajudar outras pessoas a alcançar os seus objetivos.

linha vermelha

Diferentes atitudes: jogos cooperativos vs jogos competitivos:

Visão de Jogos:

  • Omissão – individualismo (OI): Insuficiência; É impossível; Separação.
  • Competição – confronto (CC): Jogos Competitivos: Abundância vs escassez; Parece possível só para um; Exclusão.
  • Cooperação – encontro (CE): Jogos Cooperativos: Suficiência; Possível para todos; Inclusão.

Objetivo:

  • OI: Ganhar sozinho. “Tanto faz”.
  • CC: Jogos Competitivos: Ganhar … do outro.
  • CE: Jogos Cooperativos: ganhar … juntos

O outro:

  • OI: Quem?
  • CC: Adversário, inimigo.
  • CE: Parceiro, amigo.

Relação:

  • OI: Independência; “Cada um está na sua”.
  • CC: Dependência, Rivalidade, Desconfiança.
  • CE: Independência, parceria, Confiança.

Ação:

  • OI: Jogar sozinho; Não jogar; “Ser Jogado”.
  • CC: Jogar CONTRA; Ataque e defesa; Habilidades de rendimento.
  • CE: Jogar COM; Troca e criatividade; Habilidades de relacionamento.

Clima do Jogo:

  • OI: Monótono Denso
  • CC: Tensão, stress e contração Pesado.
  • CE: Ativação, atenção e descontração Leve

Resultado:

  • OI: Ilusão de vitória individual.
  • CC: Vitória à custas dos outros.
  • CE: Sucesso partilhado.

Consequência:

  • OI: Alienação Conformismo e indiferença.
  • CC: Acabar logo com o jogo.
  • CE: Vontade de continuar a jogar.

Motivação:

  • OI: Isolamento.
  • CC: Medo.
  • CE: Amor.

Sentimentos:

  • OI: Solidão, Opressão
  • CC: Diversão para alguns Realização para poucos, insegurança, raiva e frustração.
  • CE: Alegria para muitos, comunhão entre todos, satisfação, cumplicidade e harmonia.

Símbolo:

  • OI: Muralha
  • CC: Obstáculo.
  • CE: Ponte.

linha vermelha

Jogos Cooperativos são jogos onde a necessidade de se ser feliz, confiar e compartilhar a amizade são maiores que a necessidade de vencer.

O jogo cooperativo consiste em jogos e atividades onde os participantes jogam juntos, ao invés de contra os outros, apenas pela diversão. Através deste tipo de jogo, nós aprendemos a trabalhar em grupo, a confiança e a coesão grupal. Os jogos cooperativos apoiam-se em 4 pilares essenciais à sua realização:

  • Cooperação: diretamente ligada à comunicação coesão, confiança e ao desenvolvimento de capacidades de interação social positivas, através dela as pessoas envolvidas aprendem a compartilhar, a ter empatia e a se preocupar com os sentimentos dos outros.
  • Aceitação: diretamente relacionada com a elevada auto-estima e com a sensação de felicidade-comum. Assim como a rejeição está diretamente ligada a uma baixa auto-estima.
  • Envolvimento: o sentimento de pertencer, de fazer parte de um todo, a uma sensação de contribuição e satisfação com a atividade.
  • Diversão: a razão principal pela qual participamos nos jogo. Sem a sensação de divertimento, de alegria, o jogo perde a sua atratividade. Afinal, o que nos prende à atividade é a alegria e o prazer que o jogo pode proporcionar.

linha vermelha

livro sabedoria prática

georges hébert 1

coubertin versus hébert

PIERRE DE COUBERTINcorpo mecãnico e orgãnico

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s